Quais são os tipos de ergonomia? Confira


Você sabe quais são os tipos de ergonomia? Entender seus conceitos e classificações é importante para garantir o bem-estar dos funcionários da empresa e, consequentemente, melhorar o seu desempenho.

Para a organização promover melhorias que assegurem a saúde dos seus colaboradores, é preciso estudar diferentes setores da empresa. Ou seja: a ergonomia vai além do conforto físico dos funcionários enquanto eles desempenham suas atividades. Depende, também, da estrutura organizacional da empresa e da interação individual de cada colaborador com o seu espaço de trabalho.

Neste artigo, vamos explicar o que é e quais são os tipos de ergonomia, além dos seus benefícios para o ambiente corporativo. Ficou interessado? Então continue a leitura!

O que é ergonomia?

A ergonomia é a área que se aprofunda na relação entre o homem moderno e as atividades operacionais que ele executa. Essa ciência busca promover a perfeita integração entre as condições de trabalho ao contemplar as limitações — físicas e psicológicas — do indivíduo e do sistema produtivo.

O objetivo da ergonomia é aumentar a eficiência organizacional e a saúde, segurança e conforto do funcionário. Para isso, avalia questões como:

  • postura dos trabalhadores ao executar suas funções rotineiras;
  • os movimentos corporais realizados pelos funcionários durante suas atividades;
  • os fatores físico-ambientais que envolvem o trabalho;
  • os equipamentos utilizados durante a operação.

Quais as obrigações da empresa em relação à ergonomia?

O princípio básico da ergonomia é ajustar o local de trabalho para uma condição mais favorável às condições e limitações físicas do indivíduo. Em outras palavras, significa promover condições de trabalho que reduzam problemas físicos e psicológicos.

Antigamente, ficava sob responsabilidade apenas do trabalhador fazer esses ajustes. No mundo atual, em que o ambiente laboral é patrimônio da empresa e com mudanças na relação entre o profissional e suas atividades, cabe à organização oferecer as condições e práticas que afetem a saúde do funcionário o mínimo possível.

Porém, essa adaptação leva em consideração uma série de fatores que nem sempre são de total conhecimento da organização contratante. Por isso, uma empresa especializada em ergonomia pode ajudar a implantar novos procedimentos e realizar as adaptações necessárias.

Quais mudanças podem melhorar a ergonomia?

Baseado nessas avaliações, é possível realizar as seguintes intervenções para garantir mudanças positivas no ambiente e na rotina dos funcionários:

  • implementação de novos postos e métodos de trabalho, além de ferramentas, maquinário e mobília;
  • correção dos problemas identificados;
  • a conscientização dos funcionários de técnicas e métodos mais adequados para a execução de determinadas atividades.

O campo de estudo da ergonomia tem como propósito avaliar o cenário de atuação dos colaboradores e propor melhorias que possam garantir sua segurança e melhorar o seu desempenho.

Quais são os tipos de ergonomia?

Existem três disciplinas que envolvem o campo de estudo da ergonomia. Abaixo, explicamos quais são elas e suas diferenças. Confira!

Ergonomia física

É a relação entre as atividades desempenhadas e as características anatômicas do homem. Neste campo, os seguintes elementos são avaliados:

  • a postura durante o trabalho;
  • o manuseio dos materiais;
  • a presença de movimentos repetitivos;
  • os possíveis distúrbios musculoesqueléticos que podem surgir com a atividade;
  • a projeção das estações de trabalho;
  • a segurança e saúde do funcionário ao desempenhar a função.

Essa área da ergonomia tem o objetivo de analisar as medidas do corpo para, por fim, dimensionar os equipamentos, máquinas e ferramentas de trabalho de acordo com a anatomia humana. Assim, os equipamentos utilizados pelos trabalhadores são adequados às suas capacidades fisiológicas e psicológicas.

Como exemplo, podemos citar um móvel utilizado por centenas de milhares de trabalhadores ao redor do mundo: a cadeira de escritório. Para que o funcionário possa manter a postura adequada e evitar lesões ou problemas de saúde posteriores, é preciso que a cadeira seja adaptada para sua altura, peso, atividade desempenhada e outros fatores.

Este é o papel da ergonomia física: avaliar e orientar corretamente à saúde do colaborador. Dentro desse estudo, encontramos 4 modalidades de intervenções aplicadas no ambiente de trabalho. Veja quais são elas a seguir.

Ergonomia de correção

Atua de maneira parcial e restrita, modificando pontualmente elementos como a iluminação, os ruídos, a temperatura, as dimensões e posicionamento do mobiliário etc.

Ergonomia de concepção

Essa intervenção é feita diretamente no projeto do ambiente, com o intuito de promover uma melhor organização do trabalho e dos sistemas de produção. Cuida ainda do uso correto dos equipamentos e da manutenção da postura correta pelos funcionários.

Ergonomia de conscientização

Trata da educação sobre ergonomia para o funcionário, por meio de palestras e treinamentos, com foco na correção de hábitos posturais ou do uso de equipamentos.

Ergonomia participativa

Tem como foco a criação de um Comitê Interno de Ergonomia (CIE), que trabalha para a conscientização e viabilização de projetos que sejam ergonomicamente corretos e que priorizem a saúde dos trabalhadores.

Ergonomia operacional ou organizacional

A ergonomia operacional consiste em otimizar os sistemas sociotécnicos, processos e políticas da empresa. Ou seja: avalia e propõe mudanças na estrutura organizacional da companhia, de modo a não sobrecarregar os colaboradores.

Nesse campo, são avaliados:

  • os processos de comunicação interna da empresa;
  • as atividades executadas em grupo;
  • os projetos participativos realizados dentro da companhia;
  • o trabalho cooperativo;
  • a organização em rede;
  • cultura organizacional;
  • a estrutura temporal das operações;
  • a qualidade da gestão.

Em outras palavras, a ergonomia operacional se propõe a orientar mudanças na liderança e apontar melhorias na gestão.

Ergonomia cognitiva

ergonomia cognitiva avalia os processos mentais utilizados pelo indivíduo na execução das suas atividades e estuda como eles afetam suas interações com outros elementos do sistema.

Em outras palavras, se propõe a avaliar e intervir em questões que possam afetar o nível mental dos funcionários, de modo a reduzir o estresse provocado no ambiente de trabalho. Nessa área, são avaliados:

  • raciocínio;
  • resposta motora;
  • percepção;
  • memória.

O propósito da ergonomia cognitiva é, portanto, avaliar a resposta do indivíduo em relação aos seguintes tópicos:

  • a carga mental que o trabalho exige;
  • os processos de tomada de decisão;
  • o desempenho específico em determinados setores;
  • a interação do indivíduo com as máquinas;
  • a confiabilidade humana;
  • estresse proveniente das rotinas de trabalho;
  • a formação da concepção de pessoa-sistema;
  • o treinamento relacionado aos projetos que envolvem pessoas e sistemas.

A ergonomia cognitiva, portanto, atua com ações de treinamento e desenvolvimento dos colaboradores com o intuito de promover melhorias nas relações entre os colegas e a liderança.

Qual a ligação entre a ergonomia e os produtos digitais?

Com a forte presença da tecnologia no dia a dia, a ergonomia deixou de se limitar à relação entre o homem e o trabalho. Agora esse estudo engloba também a interação das pessoas com os elementos que são parte da sua vida cotidiana. Dentro dessa abordagem, há o estudo da intervenção entre o homem e o computador.

Para garantir que essa relação seja positiva, há a participação de um especialista em design que conheça profundamente os aspectos da ergonomia e suas implicações. Esse profissional projeta produtos que se enquadrem nessas exigências e leva em consideração a qualidade das interações com esses itens.

Quais são os benefícios da ergonomia no trabalho?

Implementar os três tipos de ergonomia no trabalho traz uma série de vantagens para os colaboradores e para a empresa. Entenda!

Melhora a saúde e qualidade de vida dos funcionários

A ergonomia tem como propósito incorporar mudanças no sistema organizacional que evitem a fadiga física e psicológica dos trabalhadores.

Assim, os funcionários são beneficiados com mais saúde e qualidade de vida, já que têm sua integridade física preservada e evitam o estresse crônico — um gatilho emocional que pode provocar uma série de respostas negativas no organismo, tais como cefaleia, alergias e crises depressivas.

Aumenta a produtividade da equipe

Como a ergonomia melhora a qualidade de vida, os níveis de satisfação dos funcionários também aumentam. A salubridade é condição indispensável para um bom rendimento dos profissionais, afetando também a qualidade do trabalho apresentado.

Isso melhora o desempenho dos colaboradores no trabalho que, consequentemente, trarão resultados positivos para a companhia.

Evita o afastamento de funcionários por lesão

Um dos propósitos da ergonomia é prevenir lesões nos funcionários e diminuir o risco de acidentes e doenças ocupacionais, causados especialmente por movimentos repetitivos.

Ao implementar as mudanças na empresa, a tendência é que o número de afastamentos — tanto temporários quanto definitivos — seja reduzido de maneira significativa. Além disso, a ergonomia também tende a reduzir o número de atrasos e faltas, já que o trabalhador não se sente sobrecarregado com suas atividades. Vale lembrar que esse benefício reflete diretamente nos custos da empresa.

Melhora a valorização profissional

Os trabalhadores que são beneficiados pelas mudanças que visam a ergonomia sentem que são valorizados pela empresa. Esse tipo de intervenção desperta o sentimento de reconhecimento e de pertencimento, que são poderosos motivadores.

Além de evitar processos judiciais ou aposentadorias por invalidez, os cuidados com a ergonomia diminuem o número de demissões, ajudando até mesmo a valorizar a marca dentro do mercado de trabalho.

Conhecer os tipos de ergonomia é fundamental para entender quais ações podem ser implementadas na empresa e melhorar a saúde do trabalhador. É importante também estar atento a forma como os funcionários executam suas atividades e a sua satisfação no trabalho para propor mudanças que possam melhorar sua qualidade de vida.

Agora que você já sabe mais sobre os tipos de ergonomia e sua importância, que tal entrar em contato conosco e conhecer nossas soluções? Ficaremos felizes em atender você!

Powered by Rock Convert