Conheça os tipos de ginástica laboral


Os funcionários da sua empresa costumam ficar muito tensos? Eles reclamam de dores musculares e, com isso, não têm desempenhado suas atividades de maneira plena? Então, você deveria oferecer ginástica laboral a eles. Isso porque essa prática faz descontrair mentalmente o funcionário, além de preparar o corpo para o trabalho.

Esse tipo de ginástica traz como resultado a melhora na produtividade dos colaboradores e proporciona um ambiente de trabalho saudável. Geralmente, ela conta com exercícios de alongamento, controle e compensação muscular. E isso tudo com duração média de 15 minutos.

Quer saber mais? Acompanhe este texto e conheça 4 tipos de ginástica laboral. Cada uma das modalidades pode ser realizada de acordo com o horário e o objetivo que se deseja alcançar. Confira!

1 – Ginástica laboral preparatória

O nome já carrega o significado para a sua atuação: preparar para a jornada de trabalho. Por isso, essa ginástica é feita antes de começar as atividades do dia na empresa.

Por meio de exercícios de coordenação, flexibilidade e resistência, essa ginástica ativa fisiologicamente o corpo do funcionário. Este vai estar mais concentrado e disposto para o trabalho. A ginástica laboral preparatória tem duração média de 12 minutos.

2 – Ginástica laboral compensatória

Muitas vezes, o funcionário sente uma dor na musculatura porque se esforçou de maneira inadequada. Justamente para evitar esse desconforto é usada a ginástica laboral compensatória durante o expediente de trabalho.

Com exercícios de alongamento, respiração e postura, essa ginástica alivia eventual tensão muscular do funcionário. Este não vai precisar se ausentar do trabalho quando sofrer algum esforço excessivo, uma vez que essa ginástica ajuda neste quesito.

3 – Ginástica laboral de relaxamento

Quando estiver faltando de 10 a 12 minutos para o fim do expediente, essa ginástica entra em ação. Ela tem o objetivo de suavizar o ritmo de trabalho, reduzindo o estresse e aliviando tensões.

Para alcançar esse objetivo podem ser feitos exercícios de massagem, meditação e respiração. A ginástica laboral de relaxamento tem o poder de reduzir o estresse, ajudando favoravelmente os relacionamentos, amenizando até mesmo desentendimentos de trabalho e familiares. Isso porque, após essa ginástica, o funcionário consegue ter uma relação social mais amigável e tranquila.

4 – Ginástica laboral corretiva

Em algumas situações de trabalho podem existir estruturas ergonômicas inadequadas para aquele funcionário. E isso acaba causando consequências negativas para o corpo do indivíduo. Tentando reduzir e combater esses efeitos, a ginástica laboral corretiva procura encontrar o equilíbrio muscular.

Ela se utiliza de exercícios que têm a função de fortalecer os músculos fracos e alongar os músculos encurtados. A ideia é distensionar a musculatura do funcionário. Pode ser feita todos os dias, durante 10 minutos.

Esses foram alguns tipos de ginástica laboral que podem ser muito úteis para aumentar a produtividade dos funcionários. Além da melhora da saúde dos colaboradores, a empresa também se beneficia com a ginástica laboral, pois há uma queda considerável nos afastamentos do trabalho e uma diminuição das pausas aleatórias ou desnecessárias.

Gostou das informações? Então, conheça também algumas dicas para manter um ambiente saudável na empresa!

YOU MIGHT ALSO LIKE

Veja 5 dicas para manter um ambiente saudável na empresa
December 13, 2016
Como a ginástica laboral pode reduzir custos da empresa?
December 01, 2016
Processos de Certificação. NOVE BONS MOTIVOS para realizar Análise Ergonômica do Trabalho
May 25, 2015
Saúde, Conforto e Segurança dos colaboradores – NOVE BONS MOTIVOS para realizar Análise Ergonômica do Trabalho
April 06, 2015
Fazer exercícios em jejum queima músculos e preserva gorduras
March 05, 2015
Relação Custo-Benefício – NOVE BONS MOTIVOS para realizar Análise Ergonômica do Trabalho
January 14, 2015
Postura e descanso são importantes para evitar lesões por esforço repetitivo
November 25, 2014
Diminuição dos riscos de Doenças Ocupacionais – NOVE BONS MOTIVOS para realizar Análise Ergonômica do Trabalho
November 16, 2014
Controle de Absenteísmo – NOVE BONS MOTIVOS PARA REALIZAR ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO
September 30, 2014