Controle de Absenteísmo – NOVE BONS MOTIVOS PARA REALIZAR ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO


Este artigo faz parte de uma série com 9 motivos que explicam como a análise ergonômica do trabalho pode ser promovida sob diferentes pontos.

Absenteísmo é a expressão usada para designar as faltas ou as ausências dos empregados ao trabalho e, ainda hoje, é um dos principais problemas das instituições públicas e privadas. Para evitar os inúmeros efeitos negativos que isso traz à empresa, é importante saber como fazer o controle de absenteísmo.

Neste artigo você verá as principais causas que levam às faltas e às ausências dos funcionários e, além disso, receberá algumas dicas para diminuir esse problema, que interfere diretamente nos lucros da empresa. Vamos lá?

As principais causas de faltas no ambiente de trabalho

Alguns autores enfatizam que o absenteísmo é determinado principalmente pelas condições de trabalho encontradas nas empresas. São elas:

Organização e supervisão deficiente

A partir do momento em que a empresa não investe na comunicação interna entre seus colaboradores, essa situação se reflete no desempenho dos profissionais. Sem saber o que está ocorrendo dentro da própria organização, o funcionário sente-se perdido e desvalorizado, o que pode fazer com que ele procure por novas oportunidades.

Volume excessivo de trabalho

Quando a demanda é maior que o tempo disponível ocorre uma sobrecarga de trabalho, que pode causar estresse e problemas de saúde. Afinal, nesses casos, o colaborador não consegue ter disponibilidade para dar prosseguimento e resolver tudo o que precisa, causando desmotivação e afetando a sua satisfação pessoal.

Infraestrutura inadequada

Trabalhar em um local que não oferece condições adequadas é um ponto muito negativo. Os riscos ergonômicos prejudicam o negócio como um todo. O funcionário que trabalha e permanece sentado em frente ao computador pode ter problemas de saúde e precisar de afastamento para tratar possíveis doenças.

Segundo o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a dor nas costas é a principal causa de afastamento do ambiente de trabalho. Os dados ainda indicam que fraturas no punho, na mão, no pé, no antebraço e na perna também estão no topo do ranking. Com isso, dá para imaginar a importância de oferecer um local adequado e seguro a todos.

Baixo reconhecimento

Se o funcionário não for reconhecido por suas conquistas do dia a dia ele certamente ficará desmotivado — o que, como consequência, reduzirá a qualidade do trabalho realizado. Isso gera prejuízos financeiros, pois o colaborador sente que sua atuação dentro da organização não acrescenta ou contribui aos resultados positivos.

Além disso, outro problema é a alta rotatividade no ambiente organizacional, que afeta o negócio como um todo. O chamado turnover prejudica as equipes, que dependem do empenho de todos os colaboradores para realizar determinados projetos.

Outros pontos

Além dessas questões, outros pontos ainda podem contribuir para o afastamento. São eles:

  • empobrecimento das tarefas;
  • falta de motivação e estímulo;
  • integração precária do empregado à organização;
  • os impactos psicológicos de uma direção deficiente;
  • incompatibilidade com a cultura organizacional;
  • condições de trabalho prejudiciais à saúde.

Nos últimos 25 anos, a ausência por doença aumentou 30% em todos os países desenvolvidos. Isso implica não só em custos diretos, representados por auxílio-doença pago aos trabalhadores faltosos, mas também em custos indiretos.

Estes são representados pela diminuição da produção, redução da qualidade do produto, aumento do desperdício, diminuição da eficiência do trabalho, problemas administrativos e rebaixamento dos trabalhadores.

Dicas para diminuir as faltas e ter controle de absenteísmo

O problema do absenteísmo na maior parte das empresas está conectado à área de Gestão de Pessoas. Um estudo macroergonômico pode identificar, por meio de uma análise estatística, quais variáveis impactam o trabalho da equipe e uma análise ergonômica pode auxiliar na implantação das melhorias pela gestão participativa.

Programas na área de segurança do trabalho e com foco em ergonomia geram uma constante melhora no ambiente de trabalho. Além disso, a implementação de um sistema com uma boa vivência e comprometimento em todos os níveis da organização contribui de forma direta para o controle e a redução das taxas de ausências. Veja mais dicas!

Realize pesquisas de avaliação

Os questionários de avaliação interna são ferramentas poderosas e estratégicas. Eles servem de base para identificar e entender como os funcionários estão se sentindo dentro da corporação e com as ações executadas no dia a dia.

Com esses resultados, a empresa pode estruturar mudanças, de forma que os colaboradores sejam atendidos e passem a ter um ambiente de trabalho mais agradável. Se suas reclamações não forem alteradas, eles podem frustrar-se, o que gera desmotivação.

Mantenha os colaboradores engajados

Quando a organização se relaciona com os trabalhadores de maneira assertiva, isso tende a deixar os funcionários produtivos. Nesse aspecto, é importante valorizar as conquistas e vitórias do dia a dia, o que mostra que o trabalho está sendo reconhecido.

Companhias que oferecem planos de carreira também são mais requisitadas. Afinal, nelas o funcionário sabe que pode desenvolver-se profissionalmente, incentivando-o a trabalhar com mais qualidade para ser promovido. Reuniões de feedback constantes também ajudam a contribuir para o crescimento profissional de cada um.

Invista em programas de saúde

Ofereça programas de saúde aos colaboradores — e mostre que a sua empresa se preocupa com o bem-estar mental e físico de cada um. Quando isso acontece, eles passam a ter uma qualidade de vida melhor e ficam mais saudáveis, o que reduz as chances de faltas para ir ao médico e o desenvolvimento de problemas mais graves.

Ofereça segurança no trabalho

Oferecer aos funcionários um local com qualidade de vida é ideal para evitar que eles faltem ou se afastem temporariamente. A segurança no trabalho tem como objetivo proteger a saúde e o bem-estar dos colaboradores, minimizando os acidentes dentro do ambiente corporativo.

Esse fator demonstra preocupação, aumentando a produtividade de todos. Afinal, quando a pessoa está satisfeita com as atividades executadas, ela certamente produz mais — e melhor.

Neste artigo você viu a importância de fazer o controle de absenteísmo no seu negócio. Implemente essas dicas e colha bons frutos!

Gostou deste post? Aproveite e confira também quais são os tipos de ergonomia e os benefícios em aplicá-las no trabalho. Boa leitura!

 

YOU MIGHT ALSO LIKE

Conheça os tipos de ginástica laboral
January 31, 2017
Veja 5 dicas para manter um ambiente saudável na empresa
December 13, 2016
Como a ginástica laboral pode reduzir custos da empresa?
December 01, 2016
Processos de Certificação. NOVE BONS MOTIVOS para realizar Análise Ergonômica do Trabalho
May 25, 2015
Saúde, Conforto e Segurança dos colaboradores – NOVE BONS MOTIVOS para realizar Análise Ergonômica do Trabalho
April 06, 2015
Fazer exercícios em jejum queima músculos e preserva gorduras
March 05, 2015
Relação Custo-Benefício – NOVE BONS MOTIVOS para realizar Análise Ergonômica do Trabalho
January 14, 2015
Postura e descanso são importantes para evitar lesões por esforço repetitivo
November 25, 2014
Diminuição dos riscos de Doenças Ocupacionais – NOVE BONS MOTIVOS para realizar Análise Ergonômica do Trabalho
November 16, 2014