Vamos lá, enfrente, com coragem!

Achei o texto bastante interessante. Acho que pode ser uma lição para qualquer desafio que assumimos. Como começar a praticar atividade física regular é, e sempre será, uma desafio, ai vai algumas dicas.

Fonte: Blog Unimed Espaço Vida

A liberação de neurotransmissores como a endorfina e a dopamina gera prazer e, a partir de um determinado momento, evita que se abandone a atividade física regular. Mas é preciso começar

Superação é a palavra de ordem nos primeiros meses. Assim, adotar definitivamente uma atividade física regular fica muito próximo de um… ato heróico!

Coragem para começar mesmo estando muito acima do peso, mesmo se sentindo um peixe fora d’água. Coragem para deixar o carro em casa e caminhar ou pedalar até o trabalho. Coragem para acordar mais cedo e encaixar uma hora de suor antes do trabalho. Coragem para vestir um abrigo e sair na chuva mesmo. Coragem para, quem sabe, se inscrever em uma competição. Enfim, não importa o objetivo. Desafie-se. Prove de sua coragem. Por quê? Porque faz bem à saúde. Duvida? Leia abaixo motivos para acreditar.

1 – Superar metas revela nosso potencial

Como saber do que somos capazes se não somos desafiados a testar nossos limites? As dificuldades que encontramos ajudam a revelar forças desconhecidas, mostram o quanto precisamos melhorar e aprender para nos tornarmos a pessoa que desejamos ser. Transformar-se requer mudança, ruptura, renovação. Encontrar um obstáculo no caminho dos nossos planos é a única maneira de nos forçarmos a abrir mão de velhos hábitos e de velhas crenças. O obstáculo entre nós e o nosso real desejo é capaz de revelar o potencial para a superação. Quando o obstáculo parece ser maior do que as forças, devemos parar e avaliar o porquê de percebermos as coisas dessa maneira. Há muitas formas de transpor uma barreira, e nem todas as pessoas encontram as mesmas soluções no mesmo tempo, pois o que funciona para um não funciona para todos.

2 – Encorajar-se causa prazer

O desafio nos força a avaliar o que realmente é importante para nossa vida. Quando algo é realmente importante para nós, descobrimos que somos capazes do impensável. A ausência de desafios faz com que tudo na vida pareça igual; é como se a certeza de que os acontecimentos se darão de uma determinada forma nos levasse a uma espécie de letargia motivacional. Não dá para desperdiçar energia e tempo com o que não é significativo para a nossa vida. Aí reside o prazer da superação. Quando vencemos um desafio, nos sentimos mais coerentes, mais de acordo com os nossos desejos e motivações. Reconhecer o valor de uma ação nossa dá significado à vida que estamos vivendo, sentir que estamos dispostos a lutar pelo que queremos gera coragem e confiança, e isso dá muito prazer!

3 – Conquistas repercutem em outras áreas

Quando atingimos uma meta e/ou vencemos um desafio, em qualquer área da vida, nos sentimos mais confiantes. A superação sempre exige que desenvolvamos, ou aperfeiçoemos, uma habilidade. Ou seja, superação sempre está associada à transformação. Não é possível atingir uma meta, alcançar um objetivo sem mudarmos algo em nossa forma de fazer, pensar e sentir. Por isso o efeito positivo obtido com a superação, numa área qualquer da vida, desencadeia todo um processo de reavaliação da autopercepção, levando a nos vermos como mais capazes. Tudo isso melhora a autoestima e nos predispõe a nos sentirmos mais mo tivados a correr riscos, a tentar coisas que nunca fizemos antes, ou a ir mais longe e mais fundo naquilo que já fazemos.

4 – Autoconhecimento domina receios

A coragem tem a ver com autoconfiança, logo, baixa autoestima e pouca confiança na própria capacidade tendem a nos fazer hesitar frente ao desafio. Em função disso, o medo do fracasso leva muita gente a hesitar. Quando nos lançamos no enfrentamento de um desafio, é fundamental considerar a possibilidade do insucesso, e se preparar para lidar com ele, caso ocorra. A pessoa que se sente insegura, pouco confiante, não suporta pensar no fracasso. Isso acontece porque ela se vê como tão incapaz que não consegue pensar nisso como oportunidade de aprendizado e de correção das próprias limitações. Esse tipo de visão gera muita ansiedade, fortalecendo o medo, que ganha força e leva à paralisação. Seguramente, enfrentar o medo de fracassar requer coragem! Um outro medo que também paralisa é o do sucesso. A possibilidade do sucesso gera medo porque, ao sermos bem-sucedidos, criamos expectativas mais altas, sobre nós e sobre os nossos feitos. Quanto mais consciência temos do que sentimos, pensamos e queremos, mais chances temos de identificar o que realmente importa, e o desejo é um dos grandes “gatilhos” para a expressão da coragem. É fundamental desejarmos muito aquilo que buscamos. Há muitas formas de ser corajoso, e a maioria delas não envolve feitos extraordinários, força descomunal ou grandes malabarismos, mas exige uma enorme dose de disposição para agir de acordo com o próprio coração.

Fonte: Angelita Viana Corrêa Scardua é Mestre em Psicologia Social pela USP/SP, Especialista em Psicologia Junguiana (PUC), pós-graduada em Neurociências e Comportamento (USP).

Fechar Menu