O que é a CIPA e por que implementar essa comissão na sua empresa


Uma das funções prioritárias dos responsáveis pela segurança do trabalho nas empresas é esclarecer sobre o que é CIPA e sua importância para todos os colaboradores. Infelizmente os acidentes de trabalho possuem, no Brasil, um número alto de ocorrências, o que gera uma imagem negativa do país.

Além de causar danos à integridade física e emocional das pessoas, os acidentes contribuem para o aumento dos custos operacionais das instituições, o que onera seus produtos e serviços.

Mas afinal, o que é a CIPA? Por que você deve implementá-la em sua empresa? Se você é da área de segurança do trabalho, este post foi feito para você. Confira!

Mas afinal, o que é CIPA?

CIPA significa Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. Essa comissão é obrigatória para empresas públicas e privadas vinculadas ao regime da CLT — Consolidação das Leis do Trabalho — e regularizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Seu objetivo é a prevenção dos acidentes de trabalho e o zelo pelo bem-estar dos colaboradores no ambiente laboral. Os participantes são representantes definidos pelo empregador e os eleitos, por escrutínio fechado, pelos colaboradores.

Por que implementar a CIPA em sua empresa?

Além do atendimento à obrigação legal, as empresas perceberam, nas últimas décadas, que seu principal ativo é formado por seus recursos humanos. Mantê-los em um ambiente saudável e favorável ao desempenho eficaz de suas atividades é absolutamente imprescindível para a manutenção do negócio.

Assim a CIPA contribui, e muito, para a melhoria das condições de trabalho, pela valorização das pessoas e pela preocupação com as condições físicas e emocionais de todos os funcionários.

Quais são as principais funções da CIPA?

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes deverá realizar as seguintes atividades:

  • realizar treinamentos para todos os seus componentes;
  • definir programação de trabalhos com reuniões periódicas de discussões;
  • identificar os riscos nos ambientes de trabalho;
  • elaborar mapa interno de riscos por local;
  • determinar alterações que devam ser feitas para melhorar as condições de trabalho;
  • tentar viabilizar essas alterações;
  • negociar com a alta administração da empresa;
  • acompanhar as modificações sugeridas e aprovadas;
  • executar inspeções periódicas em todas as instalações;
  • realizar palestras e apresentações voltadas para a segurança;
  • acompanhar as ocorrências de eventuais acidentes de trabalho;
  • arquivar cópia das CAT — Comunicação de Acidente de Trabalho;
  • promover as semanas anuais de prevenção de acidentes — SIPAT;
  •  interagir com os setores de segurança e medicina do trabalho, entre outros.

Quais as maiores dificuldades para a constituição da CIPA?

Algumas empresas passam por algumas dificuldades para a formação de sua CIPA. A maioria dos colaboradores já possui uma alta carga de trabalho e imaginam que essa comissão exigirá muito de seu tempo. Nesse caso é importante mostrar que é possível conciliar as atividades e chamar a atenção para a importância do trabalho preventivo.

Outra dificuldade é a necessidade de realizar cursos específicos para preparar os integrantes da comissão. Isso exige tempo de dedicação e custos diretos para a sua execução.

De toda a forma, é fundamental que esses integrantes façam treinamentos específicos que possam prepará-los para uma avaliação criteriosa e objetiva dos riscos que cada colaborador possa estar enfrentando em seu ambiente de trabalho.

Agora que você já viu o que é a CIPA e por que deve implementar essa comissão na sua empresa, assine a nossa newsletter e fique por dentro de informações sobre medicina e segurança no trabalho.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *