Falta do hábito de se exercitar virou epidemia no Brasil


Inatividade física já estaria relacionada a 300 mil mortes por ano no país

perder_gordura-370x260

O Brasil vive uma epidemia de inatividade física que provoca nada menos do que 300 mil mortes por ano no país. O alerta foi feito pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud)  nesta sexta-feira, durante o lançamento do Prêmio Mais Movimento, em São Paulo.

No mundo, esse número chega a 5,3 milhões de óbitos relacionados à falta do hábito de se exercitar ao menos 30 minutos por dia.

– A inatividade vem piorando ano a ano, e isso não compromete somente o desenvolvimento físico, mas também intelectual e emocional. Temos de barrar isso – reforçou Niky Fabiancic, coordenador residente do Sistema das Nações Unidas e representante-residente do Pnud no Brasil.

Uma das metas do prêmio – voltado a iniciativas individuais, coletivas, públicas e privadas – é disseminar boas ideias que promovam a prática de exercícios, cuja falta está relacionada a doenças como hipertensão, obesidade, diabetes e depressão. As propostas poderão envolver experiências positivas para crianças, valorizando a atividade física desde cedo, ou voltadas ao dia a dia de pessoas de todas as faixas etárias.

Os projetos devem ter pelo menos seis meses de existência e uma preocupação com o papel de inclusão do esporte. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site premiomaismovimento.org.br até 29 de maio.

– Queremos valorizar e premiar iniciativas que tenham esse olhar universal, de inclusão – diz Juliana Soares, coordenadora de projetos do Pnud.

Durante o lançamento do prêmio, a coordenação do Pnud no Brasil informou que está preparando um novo Relatório de Desenvolvimento Humano Nacional (RDH), em que será explorada a relação da população brasileira com a atividade física. Dados do Ministério do Esporte de 2015 apontam que somente 55% dos brasileiros ativos são envolvidos com esportes ou atividade física.

O dado é mais preocupante quando se considera gênero: a frequência de atividade física entre os homens é de 41,6%, enquanto entre as mulheres é de 30,4%.

– Não há como um país se desenvolver com índices de obesidade e doenças relacionadas à inatividade crescendo. É preciso mudar essa cultura – disse a coordenadora do Pnud no Brasil, Maristela Baioni.

Os dados desse relatório devem estar organizados até o início do ano que vem. Até lá, o programa pretende, além do prêmio, ampliar a atuação em escolas e instituições para melhorar a formação de professores e agentes sociais quanto aos conceitos de atividades físicas e, em parceria com o MEC, IBGE, Ministério da Saúde, entre outros órgãos, realizar uma pesquisa sobre esporte e atividade física nas escolas, como fator de desenvolvimento humano.

Número

Segundo a OMS, apenas 30% da população mundial é fisicamente ativa e somente entre 2% e 5% fazem exercício em volume ideal (30 minutos por dia)

 

FONTE: ZERO HORA

YOU MIGHT ALSO LIKE

Sedentários têm um risco dobrado de sofrer com doenças do coração
June 27, 2014
Exercício intenso pode causar problema cardiovascular
May 26, 2014
Ginástica laboral estimula produtividade de funcionários em MG
November 09, 2012
Terapia do movimento – Treinamento funcional invade as academias
October 08, 2012
O que inatividade física tem a ver com as empresas?
August 06, 2012
Estratégias contra o sedentarismo – Muito da obesidade começa nas escolas
August 06, 2012
Nossa news de julho está no ar!
July 18, 2012
A falta de exercícios é responsável pelo mesmo número de mortes vinculadas ao ato de fumar
July 18, 2012