Ergonomia e eSocial: qual é a relação?


Em 2014, o Governo Federal instituiu o Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, ou seja, o eSocial, que, a partir de 2018, se tornou obrigatório para todas as empresas. Com isso, muitas dúvidas surgiram em relação às informações solicitadas e sobre a ligação entre ergonomia e eSocial.

Para ajudá-lo, este artigo explica o que é a plataforma e, além disso, soluciona suas dúvidas em relação à ergonomia e o sistema. Com isso, será possível entender todos os impactos gerados em sua empresa. Confira!

O que é o eSocial?

Com novas tecnologias, as empresas passaram a mudar a maneira como organizam seus processos. Dessa forma, é preciso acompanhar as transformações que acontecem no mercado de trabalho — e as organizações devem estar cientes disso.

Para facilitar a prestação de contas relativa aos trabalhadores, o Governo Federal desenvolveu o eSocial. O objetivo é a criação de um banco de dados único contendo as 15 obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas recolhidas das empresas, como, por exemplo, aviso prévio, folha de pagamento e, ainda, comunicar sobre acidentes de trabalho.

Com todas essas informações coletadas, o governo consegue ter um melhor controle e fiscalização de todos esses assuntos. Em janeiro de 2018, apenas empresas que, em 2016, tiveram faturamento a partir de R$ 78 milhões precisavam utilizar o sistema. Porém, a partir de 1º de julho de 2018, a obrigatoriedade passa a se estender para todas, sem importar o valor do rendimento.

Qual a relação entre ergonomia e eSocial?

Para começar, a ergonomia é a relação entre o homem e o ambiente de trabalho. Por meio dela, a empresa tem a capacidade de analisar os riscos aos quais os funcionários estão sujeitos e, com isso, traçar medidas que possam mudar esse cenário.

Com o eSocial, o governo passa a exigir o fornecimento de informações ergonômicas, o que ajuda na prevenção dos riscos e no desenvolvimento de um local de trabalho mais saudável.

No preenchimento da plataforma, é importante prestar atenção aos detalhes. Entre os riscos ergonômicos, podemos citar, por exemplo, situações de estresse, execução de movimentos repetitivos com frequência e a necessidade de manter ritmos intensos durante o expediente.

Mas, antes de começar a utilizar a plataforma, quais fatores são importantes saber e quais os impactos gerados? Entenda!

Investir em treinamento

Para que a empresa se mantenha dentro da legislação, uma série de requisitos deve ser seguida para que as obrigações relacionadas à segurança e saúde do colaborador possam ser cumpridas.

Além das demais prestações de conta, a questão da ergonomia passa a fazer parte do processo. Para isso, profissionais treinados fazem toda a diferença e garantem que o formulário seja preenchido corretamente, sem que informações equivocadas e errôneas tragam prejuízo à empresa.

Vale destacar que, caso as especificidades não sejam preenchidas corretamente e aconteça algum problema, o estabelecimento pode receber multas — e até mesmo penalidades —, prejudicando a estabilidade financeira.

Facilitar a regulamentação

As informações de regulamentação e fiscalização passam a ficar concentradas em uma única plataforma — e essa é um dos benefícios do eSocial. Com isso, há uma facilidade maior na concentração de encargos a serem pagos.

Além disso, ajuda a proteger o colaborador, uma vez que as obrigações legais ficam mais fáceis de serem analisadas, sem que alguém saia prejudicado com a falta de algum benefício.

Outro ponto positivo é a diminuição da burocracia. Isso porque o preenchimento dos dados se torna mais ágil, o que diminui o tempo dos profissionais responsáveis nessa área, otimizando as tarefas.

Acompanhar a saúde e a segurança do trabalhador

O eSocial ajuda no monitoramento da saúde e na segurança do trabalhador. O ambiente de trabalho passa a ser fiscalizado com mais precisão, o que traz benefícios ao bem-estar dos colaboradores.

Com isso, você evita acidentes que resultam em afastamentos temporários. Além disso, quando o funcionário fica satisfeito e motivado, os resultados positivos da negócio tendem a crescer.

Caso a sua empresa não ofereça bons aspectos ergonômicos, isso será cobrado no eSocial. Ou seja, mudanças serão necessárias para que o seu negócio esteja dentro da lei. E nós podemos ajudá-lo nesse aspecto. Entre em contato conosco e saiba como ergonomia e eSocial podem trabalhar juntos — e de maneira positiva.