Qual a relação entre higiene ocupacional e produtividade da equipe?


Não é segredo que funcionários felizes produzem mais e melhor. Porém, muitas empresas não se atentam ao fato de que a higiene ocupacional tem grande impacto na satisfação dos colaboradores e, consequentemente, na produtividade deles.

Neste post você entenderá o que é a higiene ocupacional e descobrirá os principais benefícios de estimular a segurança e o bem-estar dentro da sua companhia. Continue lendo!

Entenda o que é higiene ocupacional

A higiene ocupacional está relacionada com a prática de reconhecer, avaliar e controlar os agentes ambientais que podem causar danos à saúde dos trabalhadores. Esta ciência se relaciona com a segurança do trabalho e colabora para o bem-estar dos funcionários.

O objetivo da higiene ocupacional é eliminar dos locais de trabalho qualquer agente de risco que possa desencadear uma doença ocupacional. Como resultado, a empresa que aplica esta ciência garante saúde física, mental e social dos colaboradores.

A higiene ocupacional é praticada em quatro etapas: a antecipação do risco, o reconhecimento do risco, a avaliação do risco e o controle do risco. Tudo para garantir que os funcionários tenham um ambiente de trabalho seguro e saudável.

Uma ciência que tem tudo a ver com a produtividade

Funcionários que se sentem ameaçados pelas condições do seu local de trabalho ou mesmo aqueles que já tenham desenvolvido alguma doença por conta do ambiente corporativo não produzirão como os colegas saudáveis.

Estes colaboradores precisarão de mais dias de folgas com atestados médicos para a realização de exames e também estão mais propensos a serem afastados por conta de algum mal crônico ou de difícil tratamento.

Quando um funcionário adoece, toda equipe adoece também. Isso porque os integrantes do time terão que trabalhar dobrado para absorver as demandas que ficaram. O resultado será uma entrega deficiente e aquém do esperado.

Os riscos controlados pela higiene ocupacional

Confira abaixo os principais agentes de riscos que podem ser evitados com a higiene ocupacional:

  • agentes de riscos físicos: ruídos, vibrações, radiações, frio, calor, pressões e umidade;
  • agentes de riscos físicos: substâncias químicas que podem gerar reações tóxicas aos trabalhadores;
  • agentes de riscos biológicos: vírus, bactérias, protozoários, parasitas, fungos e bacilos;
  • agentes de riscos ergonômicos: exaustão física, levantamento de peso, postura inadequada, monotonia e esforço repetitivo;
  • agentes de riscos mecânicos ou de acidentes: maquinário com defeito, equipamentos sem proteção e ferramentas inadequadas.

A importância da qualidade de vida no trabalho

Um ambiente de trabalho que leva em conta a saúde física, mental e social dos trabalhadores previne a perda de mão de obra, reduz o turnover e evita prejuízos para a operação.

Quando a empresa investe em práticas de higiene ocupacional, ela promove a qualidade de vida do trabalhador e garante que ele esteja satisfeito e feliz dentro da companhia. Como consequência, o funcionário passa a entregar resultados acima da média.

Neste post você entendeu a relevância de promover o bem-estar dos colaboradores e compreendeu a relação entre saúde e produtividade. Agora, aprenda a aplicar a higiene ocupacional na prática lendo os cinco dados importantes que você deve saber sobre análise ergonômica.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *