Sinistralidade: o que é e como reduzi-la na empresa?


A oferta de um plano de saúde empresarial é um benefício do qual muitos empregadores não abrem mão. Entretanto, o custo disso tem aumentado consideravelmente para as empresas, levando algumas delas, inclusive, a cancelá-lo. Essa iniciativa deve-se ao aumento do índice de sinistros registrados por cada companhia, mas você sabe o que é sinistralidade?

Disponibilizar esse benefício aos funcionários é uma garantia de que eles terão os meios necessários para contar com um bom atendimento médico sempre que precisarem. Contudo, o uso inadequado e frequente pode fazer o valor subir, e a empresa é capaz de deixar de concedê-lo.

A boa notícia é que, com medidas simples e objetivas, é possível reduzir o índice de sinistralidade e mantê-lo equilibrado — você sabe como? Continue lendo o post para entender mais sobre o assunto e esclarecer todas as suas dúvidas. Confira!

O que é sinistralidade

Cada vez que o segurado aciona o plano de saúde para a realização de uma consulta, de um exame ou de um procedimento cirúrgico, faz-se necessário abrir a ocorrência de um sinistro. Todo sinistro representa um custo, que pode ou não ser elevado. Geralmente, cada empresa determina o valor dos seus planos e serviços.

Nesse sentido, a sinistralidade é obtida pela relação entre os custos arcados com os sinistros e o prêmio, que é a receita recebida pela operadora do plano de saúde. Chega-se, assim, a um percentual, calculado pelo valor gasto dividido pelo quanto foi pago.

A operadora do plano de saúde determina o percentual que considera aceitável, ou seja, aquele número de sinistros que está dentro do esperado. Normalmente, estipula-se em 70% do valor da receita. Documento divulgado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), de junho de 2016, mostrava que o índice de sinistralidade estava acima do esperado.

Diante disso, se o percentual obtido for acima do estipulado pela operadora, significa que os custos para a manutenção do plano de saúde estão extrapolando a sua receita. Dessa forma, torna-se necessário elevar os valores pagos pela empresa.

Como reduzir a sinistralidade nas empresas

A partir da relação sinistro/prêmio demonstrada anteriormente, podemos concluir que a redução da sinistralidade está diretamente ligada à diminuição de sinistros. Para isso acontecer, a sua empresa pode adotar algumas medidas. Conheça-as a seguir!

Estimular a adoção de medidas preventivas

Não são poucas as pessoas que deixam para ir ao médico apenas quando já estão muito doentes e, por isso, necessitam de tratamentos mais complexos e caros.

Em razão disso, antecipe-se aos seus funcionários e estimule a ida regular ao médico e o check-up com exames preventivos. Ainda que isso gere um custo constante, ele tende a ser bem menor que o gasto com tratamentos.

Além desse incentivo individual, você pode dividir os funcionários por grupos de enfermidade ou de risco à saúde, como o de hipertensos ou o de diabéticos, para criar uma rotina de acompanhamento dessas pessoas.

Além disso, a empresa pode desenvolver ações internas relacionadas à saúde ou até mesmo reproduzir as campanhas públicas para valorizá-las, como as campanhas de vacinação, de combate ao tabagismo e à obesidade e de incentivo ao uso de camisinha.

Estimular hábitos saudáveis de vida

Prevenir problemas de saúde é sempre a melhor forma de reduzir a sinistralidade do plano de saúde. Para isso, é fundamental que a empresa estimule hábitos de vida saudáveis. Isso inclui a prática de atividade física e a boa alimentação.

Então, se a sua empresa tem um refeitório, ofereça pratos mais leves e saudáveis. Você conta apenas com parcerias com restaurantes? Dê preferência àqueles que oferecem um cardápio saudável e variado.

Outra medida interessante é oferecer a ginástica laboral no ambiente de trabalho. Além de despertar o interesse pelos exercícios, essa é uma boa forma de prevenir lesões por esforços repetitivos e de combater a má postura e o sedentarismo.

Essas medidas, quando aliadas a consultas médicas regulares, não apenas reduzem a sinistralidade, mas também proporcionam colaboradores mais engajados, saudáveis e bem dispostos.

Criar planos de acompanhamento dos funcionários e seus familiares

Muitas vezes, faltam informações sobre os planos de saúde, o que faz com que o usuário utilize o benefício de maneira equivocada. Por exemplo, ir ao pronto-socorro em caso que não é grave apresenta riscos à saúde do funcionário e aumenta os gastos médicos.

Para evitar idas desnecessárias, a empresa pode investir nas medidas propostas pela Blitz da saúde, que cuida do bem-estar do funcionário. Alguns cuidados rotineiros, que podem ser medidos pelas próprias pessoas, ajudam não só a verificar como anda a saúde dos colaboradores como também a de seus familiares.

Orientar sobre o uso do plano de saúde

A empresa pode promover palestras e distribuir panfletos para informar os funcionários sobre a importância do uso consciente das coberturas do plano. Cabe alertá-los de que as consultas e os exames devem ser realizados como forma de prevenção e em caso de necessidade.

Quando a pessoa não está se sentindo bem e ainda não sabe qual especialidade médica procurar, o ideal é agendar a consulta com um clínico geral. Assim, o profissional poderá analisar o caso e encaminhar para o médico específico. Afinal, agendar vários atendimentos com diferentes especialistas é um risco ao uso consciente do benefício.

Outro ponto importante a ser citado é conscientizar o funcionário sobre os riscos de consumir e utilizar medicamentos sem prescrição médica porque a automedicação é prejudicial à saúde. Não há como negar que muitos brasileiros vão às farmácias comprar remédios quando sentem sintomas como dor de cabeça, por exemplo. Entretanto, é necessário explicar aos funcionários que é preciso cautela, e as doses devem ser indicadas por um profissional.

Ainda nesse sentido, se um colaborador toma o medicamento por conta própria, ele pode acentuar alguma doença preexistente e até desenvolver outras condições graves. Por isso, a empresa deve adotar medidas de ações preventivas, que, além de cuidar da saúde do funcionário, também evitam idas futuras aos hospitais e clínicas, controlando o absenteísmo.

O que é plano de saúde com coparticipação

Uma forma bem interessante de estimular o uso consciente do plano de saúde é optar pela coparticipação, pela qual os empregados contribuem com uma parcela quando usam alguma cobertura. Isso tende a conscientizá-los sobre o seu uso racional.

Dessa forma, ao pagar parcialmente pela realização de um exame, por exemplo, o paciente tende a tomar decisões mais consciente porque ainda terá que pagar um valor mensal.

Como vimos, é possível reduzir a sinistralidade do plano de saúde com ações internas, simples e aplicáveis na rotina de qualquer empresa. E o melhor é que são medidas que só tendem a melhorar a saúde dos seus funcionários. Basta um bom planejamento.

Gostou do conteúdo sobre o que é sinistralidade? Então, aproveite para assinar a nossa newsletter e aprender ainda mais sobre qualidade de vida e bem-estar na sua empresa!

Powered by Rock Convert